Docedeleite

Existem crimes piores do que queimar livros. Um deles é não os ler.  - Joseph  Brodsky

Áudios

- DESEJO -
Data: 17/09/2016
Créditos:
Autora -Iolanda Pinheiro
Voz -Iolanda Pinheiro
Intenção -Encantar o homem que amo
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



DESEJO



Quero ser mar, e me estender imensa
sob a colcha de estrelas, desposada
Resplandecer em plena alvorada
e refletir da luz, a chama densa

Quero do sol o ardor na carne tensa
No fogo dos desejos, ser queimada
  E consumida, não me reste nada
De medo, de pudor, de dor, ou crença

Quero do embate, a vontade intensa
Ajoelhada, em perfeita entrega
Que a todo carinho não se nega,
e a todos os pecados, dá licença.

Quero o salto no escuro profundo
E me perder em estrada deserta
Quero o arrepio que o risco desperta
Quero o doce veneno deste mundo.



Iolanda Maria Pinheiro C. Leitão.




- Interaçãoes Diversas -


Do doce Carlos Henrique, com carinho.

Estenda-se imensa em mim
Queimemos juntos no fogo de nossos desejos
sem nada negarmos ao pecado 
serei o doce veneno do seu mundo


-000-

Do excelente poeta Misrael. Agradeço a gentileza. Linda poesia.

Quero ser o sol que te bronzeia
Quero ser a areia em ti grudada
Quero saciar o desejo que tanto anseia
E para sempre serás minha amada.
Eu sinto um vontade imensa
Bem mais do que você imagina
Quero te ter minha mulher
Estrela que tanto me fascina.
Quero te amar ardentemente
Revelar meus desejos mais picantes
Quero te ver feliz e contente
Sendo minha mulher e minha amante.


-000-

Sensualidade pura a interação da poetisa Anna Lúcia Gadelha.

Quero ser lua,
seduzindo-te nua
Em um raro eclipse da natureza
Amar-te-ei com sutileza e beleza
Realizando meu desejo de ser tua

 
-000-
                                            
Do amigo poeta Marcus Rios. Beijo.
                                                             
Quero ser apenas 
O poeta que vai te cobrindo 
De poesias e enchendo
  O seu coração de alegria
  Com palavras lindas

-000-

Do amigo poeta Chico Távora. Beijo.
                                                             
Quero ser o teu fugaz amante
Nem que seja por um breve instante
Pra descobrir segredos de teu corpo
Pois tua alma já conheço tanto
A mim revelada por teus doces versos
Formosa, bela prenhe de encantos
-000-


Do querido e brilhante Paulo, o Miranda.

 
Sob o arrepio que o risco desperta
tem início o meu desvario
contudo a coisa mais certa
é que nele, contigo vicio...

-000-


Do sempre brilhante Dilson Poeta
                                      
Para matar o meu desejo
Aproveito agora o ensejo
e os parabéns lhe dou
sei que tem talento e dom
por isso digo: Ah, que bom
A inspiração da poeta voltou.


-000-

Interação belíssima do multitalentoso Tony Bahia. Obrigada.
                                      
Quisera ser o mar, no último mergulho
Aquele levado pelos redemoinhos
Nas profundezas do oceano.
Me causaste tantos danos
Mas perdoo os enganos
Caminhando por desenganos
Por nós cometidos.
Feito o vai e vem das marés
E embarcações atracadas no cais,
Ainda soa teu grito
Ergo a cabeça
Como se fosse comer o crânio
E nesse labirinto vulcânico
Escrevo versos
 
-000-
Uma poesia belíssima por interação. Agradeço à generosidade e brilho do amigo poeta Fernando Cunha Lima.

INTROJETAR DESEJOS

De pronto quero dar-te teus desejos,
Introjetar em ti os meus pecados,
Introito do já foi acordado,
Quando fiz doação destes meus beijos.

Pecados são apenas o que almejo,
Expostos na razão, se não trancados,
Em braços e abraços abraçados,
Oferecendo a nós nossos ensejos.

Tua vontade eu cobrirei de sonhos
E os teus cios loucos e tamanhos.
Quero famintos a devorar encarnes.

Quero te ver perdida no meu mundo,
Neste querer, te alocar profundo,
Queimar-me em fogo nestas tuas carnes.

...
Fernando cunha lima, seguindo de perto
O DESEJO da jovem poeta Yolanda.
21-09-16.

-000-
Da Formidável Cristina, a Gaspar. Menina que escreve em todas as latitudes, mas também nas longitudes do recanto, causando espanto. hahaha. Obrigada, minha flor.

Queres a paz alada
Em voo alçada
Pras caçadas nesse mundo
Tens o sabor da pimenta mais ardida
A lança do bem viver mais afiada
E a sombra mais serena da praia
És da senda senhora e do desafio combatente
Tu poetisa adorada és mulher,
menina e carente
Nunca importa a mudança de ninho
Tens o poder de voar
A felicidade é de intensa busca
Muitos sabores e amores pra se provar
Deixes tuas marcas no tempo e nos ventos
Encontre a paz das saudades
Vivas intensamente
Sejas sempre uma mulher de verdade

-000-

Do belo Facuri, com delicadeza


Doce veneno
que inebria e nos alenta
em amor e poesia!...


-000-

Do amigo José Paraguassú, com entusiasmo


Pois eu te quero assim.
Completamente insana.
Quero que me leve para a cama.
E que minha carne queime na brasa de tuas entranhas.
Quero realizar todos os teus desejos.
Até os mais sacanas.
Que ajoelhada peça-me e suplique.
Que eu lhe aplique o veneno que precisa.
Que eu beba do antídoto que te absorva.
E assim absorto desse mundo.
Chegaremos ao êxtase mais profundo.
Beijarei teus pés já desfalecida.
Para provar que valeu a pena vir ao mundo.
Nem que seja só para possui-la


-000-

Do amigo Jair Lopes, obrigada

Iolanda, minha vate
Versejadora te vejo
Para fazer arremate
Todo amor eu te desejo 


-000-


A brilhante análise da loira que mora no meu coração Edna Frigato. Admiração e respeito por esta linda.
Perante meu olhar, tua bela poesia Iolanda Pinheiro, não deixa nada a dever aos nossos grandes e aclamados mestres do Romantismo. O título é exato, seco, direto, não deixando nenhuma dúvida a que veio. No decorrer da poesia nota-se a confirmação do que você se propõe. Teu "Desejo" é claro, evidente, consciente. Aparece sempre acompanhado de uma atitude mental relacionada a ele, fato que descarta o desejo como mera necessidade biológica, e o coloca na esfera romântica do afeto. Em todos os versos o elemento afetividade está evidente, eu diria até explícito. Características da escola neoclassicista é axiomático em todo seu poema. Na primeira estrofe a exaltação à natureza deixa esses elementos em evidência. Já na segunda estrofe você vai além, muito além ao colocar o Homem, no caso você (no texto está em primeiríssima pessoa) como parte ativa e integrante da natureza, numa expressão metafórica, onde ambos se confundem. O eu lírico alomorfia-se de natureza numa perspectiva de desejo e sedução arrebatadora. A cada verso nota-se que a intensidade desse desejo aumenta, como se caminhasse para o ápice, o êxtase... Na terceira estrofe o eu lírico despe-se de qualquer suposta resistência e, totalmente entregue a volúpia ajoelha-se em evidente antítese, oposição ao pecado. Interpretei o "ajoelha-se" como prova cabal da pureza dos sentimentos que impulsionam esse desejo. Pra mim, é o momento mais bonito de toda narrativa poética. Na última estrofe dá-se o ápice do desejo. De forma vigorosa e muito sensual o eu lírico finalmente mergulha no prazer. De uma jeito quase insano, como se fosse além do próprio ser, semelhante a um sismo de altíssima intensidade propagando-se por todo Universo. Parabéns, Iolanda, por essa belíssima obra literária batizada de "Desejo". Meu carinho sempre.

Análise do Professor Renato Passos de Barros. Muito obrigada, amigo, que honra!

 
O potencial imagético de seu poema convida o leitor a belas e sensuais paisagens, provenientes das alegorias "mar", "estrelas", "sol" . Uma sensualidade lírica/romântica, mas não selvagem. Assino, com orgulho, embaixo da Análise frigatiana dessa sua primorosa Arte Literária. Só um adendo: o verbo "quero" funciona como termo enfatizador e, por ser uma anáfora, contribui na melodia da declamação. Parabéns, Iolanda! Até mais ler!
 
                       

                                                      
Enviado por Iolanda Pinheiro em 14/09/2016

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras